terça-feira, 15 de março de 2016

Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra

Uma poesia de Roberto Celestino


Estava Jesus no templo
E ao povo ensinava
Todo mundo ao redor
Com atenção escutava
E chegaram uns fariseus
Mestres da lei dos judeus
Tendo uma mulher trazido
Para Jesus a julgar
Estavam a lhe acusar
De trair o seu marido.

Disseram que pela lei
A que comete adultério
Tinha que ser castigada
E o castigo era sério
Era pra ser condenada
Pra morrer apedrejada
Mas, Jesus nada falou
Pois queriam o tentar
Pra depois lhe acusar
Que à mulher condenou.

Como eles insistiam
Então Jesus respondeu:
Julguem vós esta mulher,
Pelo mal que cometeu.
Entre toda essa gente
Quem se acha inocente
Pegue sua pedra agora.
Se alguém não tem pecado
Este está liberado
Apedrejem-na agora.

Quando isso escutaram
Um a um foram saindo
Do menor até o maior
Dali foram se sumindo.
Pois a sua consciência
Não mostrava inocência
Para a ninguém julgar.
A mulher quando olhou
Viu que ali não ficou
Nenhum para a apedrejar.

Jesus disse para ela:
Mulher já foram embora
Aqueles que te acusavam
Pode levantar agora.
Eu não vou te condenar
Podes pois te levantar
E vai-te embora em paz.
Só quero que compreendas
Do teu mal, te arrependas
Vai-te e não peques mais.



sábado, 12 de março de 2016

Pedro nega Jesus

Uma poesia de Roberto Celestino


Jesus disse aos discípulos
Vão levar-me à prisão,
Quando isso acontecer
Todos vós me deixarão.
Mas, Pedro lhe respondeu:
Todos eles, menos eu
Isso nunca farei não.

Jesus disse para Pedro:
Ouça o que vou te dizer
Que ainda esta noite
Isso você vai fazer
Antes de o galo cantar
Você irá me negar
Fingir não me conhecer.

Eles a Jesus disseram
Pedro junto aos demais,
Nós não te abandonaremos
E negar, também jamais.
Enfrentaremos a morte
E nos manteremos forte
Nos momentos cruciais.

Depois que Jesus foi preso
Todos o abandonaram,
Pedro o seguia de longe
Para ver onde o levaram.
Pelo pátio se sentou
Logo se desconfiou
Com alguns que o olharam.
  
Este homem é um deles!
Afirmou uma criada.
Pedro disse; a senhora
Deve estar muito enganada.
Com nenhum deles pareço
Esse Jesus não conheço.
Tu estás equivocada.

Ao sair ele dali
Outra o reconheceu
Disse: Tu era discípulo
De Jesus o Galileu!
Jurou no meio do povo
Negando Jesus de novo:
“Não é conhecido meu”.

Outros ainda disseram
Tua fala denuncia,
Certamente tu estavas
Sempre em sua companhia.
Pedro bravo praguejou
E mais uma vez jurou
Que Jesus não conhecia.

Nesse instante ele ouviu
Quando o galo cantou
Das palavras de Jesus
Pedro logo se lembrou.
Com o coração partido
Retirou-se arrependido
Grande pranto derramou.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Eu vivia como cego, a andar na escuridão



                                  Eu andava todo errado
E pra Deus eu nem ligava
Tudo certo eu achava
Pra mim nada era pecado.
Mas, eu era um coitado
A viver sem direção
Eu pensava ter visão
Tava errado, pois não nego.
Eu vivia como cego
A andar na escuridão

Eu fazia o que queria
E ainda me gabava
Pois em mim ninguém mandava
Era assim que eu dizia.
O prazer que eu sentia
Era na dissolução
A Deus não dava atenção
O meu deus era o meu ego
Eu vivia como cego
A andar na escuridão

Eu não queria saber
De ouvir sobre Jesus
Ou porque que numa cruz
Ele resolveu morrer.
Meu negócio era viver
Minha  vida com emoção
Hoje tudo isso é vão
Nisso não mais me apego
Eu vivia como cego
A andar na escuridão

Pois Jesus pra mim olhou
Teve compaixão de mim
Ao me ver andar pro fim
Minha vida resgatou
Alguém para mim falou
Do amor e do perdão
Que nos dá a salvação
E eu disse: Eu me entrego.
Muito tempo eu fui cego
Mas Jesus me deu visão.

Roberto Celestino

terça-feira, 1 de março de 2016

SALMO 1


É feliz quem não deseja
Imitar os pecadores
Nem andar com zombadores
Gente que o mal planeja.
Ao contrário ele almeja
Ter prazer só no Senhor
Da palavra é leitor
E medita noite e dia
Não se finda a alegria
De quem é adorador

Como árvore plantada
Junto de água corrente
Dá bom fruto e semente
Ali não lhe falta nada.
Tem a vida abençoada
Não se abate com tristeza
O Senhor em sua grandeza
O segura pela mão
Ele sente a proteção
De Deus, sua fortaleza.

Mas quem busca a maldade
Achará o sofrimento
Como palha pelo vento
É sua felicidade.
Com grande severidade
Eles irão ser julgados
De temor serão tomados
Ao ouvirem a sentença
Pois pela sua descrença
Serão eles condenados.

Seja bem aventurado
Tu varão e tu varoa,
Seja, pois essa pessoa
Que a Deus  tem adorado.
Para ti tá reservado
Lá no céu o teu lugar
Que  Jesus foi preparar
Isso Ele prometeu
Não despreze o que Ele deu
Tão somente por te amar.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A ressurreição da filha de Jairo



Jesus viu o homem Jairo
Chegando desesperado
Diante dele se ajoelhou
E falou ali prostrado:
Minha dor é muito forte
Minha filha está à morte
Pois é grave o seu estado.

E em quanto ele falava
Veio um empregado seu
E olhando para Jairo
A notícia ele deu:
Não precisa o chamar
Cuide logo em voltar
Tua filha já morreu.

Vendo o seu desespero
Jesus Cristo Lhe falou:
Não te assustes, crê somente,
Eu contigo ainda vou.
Basta você confiar
Tua filha vou salvar.
Nele Jairo confiou.

Vendo o povo que chorava
Ele os mandou calar
Disse: ela não está morta
Pra vocês eu vou mostrar
A menina está dormindo,
De Jesus ficaram rindo
Esperando-o fracassar.

Foi ao quarto da menina
Pela mão a segurou
“Menina levanta agora”
Em voz alta ele falou.
Jairo que a tudo via
Festejou de alegria
Quando a filha levantou.

Os que riram de Jesus
Tiveram que se calar
Pois pensavam que a morte
Fosse de Jesus ganhar.
Mas a morte não lhe vence
Pois a vida lhe pertence
Vida que veio nos dar.



terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

O Senhor é meu Pastor, nada me faltará.



         Salmo 23

O Senhor é meu pastor
Nada deixa me faltar
Pois de tudo que eu preciso
Ele sempre vem me dar.
Ele é quem providencia
O meu pão de cada dia
Nele eu posso confiar.

Ele acalma minha alma
Quando eu estou nervoso
E me livra do caminho
Que pra mim é espinhoso.
O enguiço desenguiça
Ele sempre faz justiça
Seu amor é grandioso.

Ainda queu venha andar
Pela densa escuridão
Ou pelo vale da morte
Que assombra o coração
Sei que Tu és meu abrigo
E me afastas do perigo
Com cajado de tua mão.

Inimigos me perseguem
Contra mim tem investido
Mas, a eles tens mostrado
Que eu sou o teu ungido.
Ficarão a contemplar
De alegria eu transbordar
Pois em ti eu tenho crido.

Bondade e misericórdia
Para mim tem meu pastor
Sei que Ele a cada dia
É meu guia e protetor.
Para sempre o louvarei
Com prazer habitarei
Na casa do meu Senhor.

Roberto Celestino